Ressonância de Schumann: o pulso da Terra parou e a mudança de frequência está nos afetando

Sabe aquela sensação coletiva de que agosto é um mês que custa a passar? Ou ainda, aquele baque que você sente ao perceber que, logo mais, o período de festas de fim de ano estará de volta e todos estarão comendo panetone e planejando a ceia de Natal? Esses são efeitos causados pela Ressonância de Schumann, que é o campo eletromagnético da Terra, o pulso do mundo.
De acordo com a jornalista e astróloga Maína Mello, a Ressonância Schumann segue parada há pouco mais 48 horas. “O fenômeno está sendo percebido e relatado por muitas pessoas ao redor do globo. A sensação de que estamos dando um salto quântico, reiniciando”, escreveu em seu Instagram.
Segundo Mello, durante milhares de anos, o pulso do campo eletromagnético terrestre, se manteve estável na frequência de 7,83 hz, mas de uns tempos pra cá vem oscilando e teve dias que chegou a mais de 100 hz.
As razões para isso ainda são desconhecidas, mas a maneira com que afeta o ser humano é certa: “Podem aparecer sintomas como dor de cabeça, zumbido no ouvido, vertigem, enjôo, taquicardia, dificuldade de concentração, confusão, perda de sentidos, fadiga, insônia, falta de energia, choques térmicos (frio ou calor), dores sem causa aparente, problemas ósseos e dentários… A lista é grande”, diz Mello.
Em outras palavras: o corpo do ser humano precisa se readaptar a tais frequências. Ainda de acordo com a astróloga, essa adaptação do corpo pode provocar mutações fisiológicas, na biologia celular ou no DNA.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on print
Share on email