Prefeitura autua Visate por ausência de cobradores em ônibus do transporte coletivo

A Prefeitura de Caxias do Sul aplicou nesta semana 11 autuações à empresa Viação Santa Tereza (Visate) pela ausência de cobradores em ônibus do transporte coletivo urbano. Os fiscais da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM) identificaram a operação do serviço sem o profissional em categorias de veículos onde a presença do cobrador é obrigatória, conforme a legislação que regulamenta o transporte público. Cada infração é calculada em R$ 111,15 e, somadas, as autuações lavradas nesta semana chegam a R$ 1.222,65.

Após reclamação da comunidade, a ação de fiscalização foi intensificada e constatou veículos de médio porte sem cobrador nas linhas AL04 – Cruzeiro, AL17 – Bela Vista, AL19 – Planalto/Santos Anjos (duas vezes), AL69 – Parque das Rosas, L13 – Século XX, L25 – Galópolis (duas vezes), L40 – Jardim das Hortências, LC71 – Coletora Norte e LC72 – Coletora Sul. Ambos foram flagrados em paradas da área central e nas Estações Principais de Integração (EPIs) Imigrante e Floresta. Os fiscais da SMTTM também conferiram se o selo de vistoria, aprovado no último mês, estava devidamente fixado no interior dos coletivos.

Conforme a Lei Municipal N° 7.082, de 17 de dezembro de 2009, apenas ônibus leves do tipo midibus podem operar sem utilização do cobrador. O midibus é um ônibus menor do que os coletivos tradicionais, com 27 assentos (o ônibus normal tem 39), e opera com o motorista acumulando também as funções de cobrador. Estes veículos realizam o serviço em linhas consideradas de baixa demanda de passageiros.

Fora desse modelo, a prática é irregular e desrespeita o contrato de concessão entre o Município e a empresa concessionária, de acordo com o Decreto Municipal 9.777/99. Recentemente, a SMTTM cobrou justificativa da concessionária sobre a ausência do profissional em algumas linhas. Na oportunidade, a empresa alegou problemas operacionais. Nesta semana, a secretaria enviou novamente um ofício à Visate para que esclareça os motivos de voltar a permitir o serviço sem cobrador em veículos onde não há permissão.

“Além de verificarmos o cumprimento dos horários e do pleno funcionamento dos itinerários, estamos cobrando que o serviço opere dentro da legalidade em todos os sentidos. Mais do que gerenciar o pagamento da passagem, o cobrador também orienta a comunidade e permite mais agilidade no embarque dos passageiros. Nosso compromisso é que os fiscais sempre estarão nas ruas conferindo se as determinações estão sendo efetivamente cumpridas”, pontuou o titular em exercício da SMTTM, Pedro Cogo.

Ele reforça ainda que a comunidade pode continuar relatando a ocorrência dos casos de irregularidade no transporte coletivo por meio do Alô, Caxias, no telefone 156.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on print
Share on email