Novo lote com mais 936 mil doses da vacina da Pfizer chega ao Brasil

A Pfizer entregou ao Brasil mais 936 mil doses da vacina contra Covid-19 na manhã deste domingo (27). O avião que saiu de Miami (EUA) com os imunizantes pousou no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), por volta das 7h30. É a última das três remessas previstas na semana, totalizando 2,4 milhões de doses.

Além da entrega deste domingo, a farmacêutica enviou ao país outra remessa de 936 mil doses na quinta-feira (24) e uma de 528.840 doses na última terça-feira (22). Os envios fazem parte do acordo da empresa com o Ministério da Saúde.

Até o momento, 17 lotes com vacinas da empresa americana chegaram ao país provenientes deste acordo, totalizando 13 milhões das 200 milhões de doses do imunizante contratadas pelo governo federal. A Pfizer diz que vai cumprir o cronograma de entrega total até o final de 2021.

No último domingo (20), a Pfizer enviou ao Brasil a primeira remessa de doses da vacina por meio do consórcio global Covax Facility. A entrega foi de 842 mil imunizantes, também pelo Aeroporto Internacional de Viracopos.

A Pfizer utilizou o Aeroporto de Viracopos para todas as entregas ao Brasil até agora. A primeira remessa teve 1 milhão de doses e foi recebida pelo país em 29 de abril, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A logística de entrega das doses ao governo federal conta com segurança da Polícia Federal. Equipes acompanham o desembarque em Viracopos e escoltam o transporte rodoviário das doses até o centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP).

No fim de maio, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou novas condições de conservação e armazenamento para a vacina da Pfizer, que agora pode ser mantida em temperatura controlada entre 2ºC e 8ºC por até 31 dias. A orientação anterior era de cinco dias.

Antes da liberação dos frascos para a vacinação, as doses da Pfizer precisavam ser armazenadas em caixas com temperaturas entre -25°C e -15°C por, no máximo, 14 dias. Tais condições não permitiam que a vacina fosse enviada para municípios distantes mais que 2h30 da capital do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *