Instagram adota um sistema de checagem para reduzir os boatos e as notícias falsas

Segundo o site Poynter, a plataforma começa a testar nesta semana um sistema de checagem de fatos que opera em conjunto com o Facebook e tem como objetivo reduzir a visibilidade de publicações mentirosas.

Tudo funciona de forma simples: o Facebook têm vários parceiros ao redor do mundo que são responsáveis pelo fact-checking, usando ferramentas como reconhecimento de imagem e monitoramento de hashtags. A partir de agora, o Instagram – que pertence à empresa de Mark Zuckerberg – também ganha o poder de identificar postagens potencialmente falsas e enviá-las para essas agências, que farão a interpretação e análise da publicação.

O veredito será repassado para a rede social e, caso a publicação seja mesmo falsa, terá o seu alcance reduzido no feed. Como tudo é automatizado, replicações ou cópias do conteúdo reprovado também serão penalizadas pelo algoritmo. Ainda segundo o Poynter, não é certo que o método funcione, já que as postagens no Instagram são bem diferentes das do Facebook em formato e conteúdo, com menos links e textos.

Representantes do Instagram afirmaram que publicações removidas por infração à regra de desinformação serão revisadas pelos moderadores de conteúdo da empresa. O aplicativo também usará técnicas de inteligência artificial para encontrar hashtags utilizadas em publicações falsas sobre vacinação. Se uma determinada hashtag tiver uma grande proporção de informações falsas associadas a ela, o aplicativo a bloqueará e não mostrará suas fotos nas buscas.

As mudanças para prevenir a propagação de conteúdos falsos sobre vacinas ainda estão em estágio inicial. A empresa também planeja introduzir uma janela pop-up no seu aplicativo. A ideia é que, quando as pessoas pesquisarem sobre vacinas, elas sejam avisadas de que estão sendo direcionadas para informações verificadas sobre o assunto.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on print
Share on email