Frente Nacional dos Prefeitos manda gestores municipais cumprirem ordem do STF de cultos presenciais

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o ex-prefeito de Campinas (SP) Jonas Donizette (PSB), se manifestou favorável neste domingo sobre a determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kassio Nunes Marques, que ordenou a reabertura de igrejas para cerimônias religiosas a partir deste domingo. “Decisões judiciais precisam ser obedecidas. Por isso, é importante que os prefeitos cumpram o que foi decidido pelo ministro Nunes Marques sobre o funcionamento de templos religiosos”, recomendou Donizette. 

Donizette, porém, pediu para o presidente do STF, ministro Luiz Fux, se posicionar “urgentemente” sobre o assunto, a fim de esclarecer qual decisão deve ser seguida e, assim, eliminar a “flagrante contradição que atrapalha o enfrentamento à pandemia em um país federado e de dimensões continentais como o nosso”.

“A decisão do plenário, que determinou que os municípios têm prerrogativa de estabelecer critérios de abertura e fechamento das atividades em seus territórios ou essa liminar?”, questionou o presidente da FNP.

A manifestação do presidente da FNP, ao pedir um posicionamento do presidente da mais alta Corte do país, ocorre depois que o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), avisou, no último sábado (3), que não cumpriria a decisão de Nunes Marques. A justificativa, segundo ele, é que o plenário do Supremo já havia dado o poder de decidir sobre as restrições aos prefeitos.

“Em Belo Horizonte, acompanhamos o Plenário do Supremo Tribunal Federal. O que vale é o decreto do Prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais”, disse ontem Kalil em uma rede social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *