Felipe Gremelmaier lamenta a suspensão das aulas presenciais no Estado

A situação da volta às aulas no Rio Grande do Sul permeou o grande expediente do vereador Felipe Gremelmaier/MDB, na sessão ordinária desta terça-feira (27/04). Na ótica do parlamentar, a insegurança jurídica que se instalou no Estado quanto ao assunto está prejudicando, principalmente, as crianças.

Na noite de ontem (26/04), os desembargadores da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado (TJRS) não liberaram o retorno às aulas da Educação Infantil e do primeiro e segundo anos do Ensino Fundamental, mesmo após as tentativas do governo estadual.

Segundo Felipe, a volta das crianças às escolas seria facilmente resolvida, caso o governador implementasse a bandeira vermelha ou laranja em várias regiões do Estado, o que já é possível de acordo com alguns indicativos.  

O vereador se mostrou preocupado com o impacto educacional e psicológico das crianças durante a pandemia e, também, com o excesso de trabalho dos professores. Para Felipe, a não liberação das aulas presenciais é culpa do judiciário, dos sindicatos que são contra a volta às aulas e do próprio governo do RS que não retira as regiões da bandeira preta.

Felipe também enfatizou que as crianças, muitas vezes, por não estarem nas escolas, ficam sozinhas em casa ou em casas de conhecidos da família, sem os devidos protocolos de distanciamento e prevenção à covid-19.

Para finalizar, o parlamentar disse defender a vacinação imediata dos professores e de todo corpo funcional das escolas, porém, a situação é complicada, devido à falta de vacinas até para a aplicação da segunda dose nos idosos. Na ótica de Felipe, a falta de imunizantes é culpa do governo federal que não antecipou a compra de vacinas ainda em 2020, como outros países fizeram.

Em aparte, as vereadoras Denise Pessoa/PT e Gladis Frizzo/MDB afirmaram que os critérios do sistema de bandeiras do RS precisam ser revistos. O vereador Olmir Cadore/PSDB foi ao encontro da fala de Felipe e disse que a solução é vacinar os professores o quanto antes. Para Elisandro Fiuza/Republicanos, a sociedade não pode adotar critérios de que as aulas só retornem com a vacinação dos professores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *